Jundiaqui
Jundiaqui

Sobam: uma história de respeito à vida que chega aos 50 anos

Jundiaqui
25 de junho de 2018
Grupo médico comemora Jubileu de Ouro no trabalho pela saúde de Jundiaí e região

O Grupo Sobam comemora seus 50 anos de vida na noite desta segunda-feira (25), com missa às 19 horas, na Igreja Nova Jerusalém. Referência no sistema de saúde nacional, foi criado pelos médicos Arnaldo Reis, Lázaro Freitas, Paulo de Luna e Renato Furtado, que hoje cuidam da parte administrativa do plano que soma mais de 120 mil segurados.


Na faixa entre 76 e 80 anos, os quatro fundadores, três cirurgiões e um anestesista, têm seus nomes escritos na história da Medicina e também por conta de um projeto audacioso que conseguiu ao longo do tempo prestar os serviços médicos com a maior segurança possível.


A Sobam oferece planos individuais, familiares e também empresariais. Tem consultórios particulares, clínicas e hospital próprio - o Hospital Pitangueiras, para atendimento geral e de alta complexidade, com 163 leitos. Sua medicina preventiva tem selo de excelência em qualidade.


Dr Renato conta que o começo foi de grandes desafios. Corriam os anos 60 e os jovens se uniram no mesmo tempo em que o Brasil descobria a medicina de grupo. Começou com atendimento a empresas como Elekeiroz, Vigorelli, Plascar e várias outras, em 1968. O atendimento era no Hospital Geral, que ficava na avenida Jundiaí. Depois passou a ser feito em hospital de Campo Limpo Paulista, até a chegada do hospital da Sobam em meados dos anos 80, que deu lugar ao moderno Pitangueiras mais tarde.


"O que nunca mudou foram a qualidade no atendimento e o respeito ao paciente", conta o dr Renato. "Temos o grau máximo em excelência entre os hospitais, algo que poucos no país conquistaram. Chama-se acreditação, uma espécie de ISO dos mais exigentes", compara.


Na visão do médico fundador da Sobam, a tecnologia ajuda muito a salvar vidas, por isso o grupo faz constantemente a implantação de produtos de alta complexidade. O Pitangueiras figura entre os hospitais que têm padrão de nível internacional na busca por resultados precisos e imediatos a seus atendidos. "E pensar que quando começamos nem havia diagnóstico por imagem", recorda dr Renato.


Com cerca de 1.000 funcionários, sendo quase 400 médicos - muitos formados na própria Faculdade de Medicina de Jundiaí -, a Sobam investe alto no desenvolvimento dos colaboradores para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes e da comunidade como um todo. Comunidade essa que a Sobam ajudou a crescer com quase 50 mil partos desde sua fundação. Hoje, a média é de 130 nascimento a cada novo mês.  "É um orgulho esse nosso trabalho de pré-natal", conta.


Dr Renato mesmo tem um filho que é médico da Sobam, o dr. Marcelo - sua irmã Taísa é advogada do grupo e a outra, Renata, dentista em Belo Horizonte. Já o infectologista Marco Aurélio é filho do sócio Lázaro Freitas.


Dr Renato vai lembrando os valores que movem o grupo, como o atendimento humanizado, ética, atualização constante, responsabilidade social, trabalho em equipe e parcerias.


"É um grande prazer salvar uma vida. O leigo erra ao pensar que médico não tem sentimento, porque tem sim. É terrível ver uma pessoa doente, sentimos junto. A sensação de salvar alguém é a de que Deus está junto com você. Por isso vamos celebrar essa missa pelos 50 anos do grupo, para agradecer a Deus e também a Jundiaí".


O HOSPITAL


O Hospital Pitangueiras adotou em 2005 a Gestão da Qualidade como ferramenta permanente de aprimoramento. Como resultado recebeu da Organização Nacional de Acreditação - ONA, de forma inédita na região, em 2008, a certificação Nível III - Acreditado com Excelência.


Durante sua existência o Hospital Pitangueiras investiu na capacitação de seus colaboradores e na modernização de seu parque tecnológico, buscando a melhoria contínua de sua principal atividade: prestar assistência médica hospitalar com dignidade e ética, promovendo a saúde de forma integral e humanizada.


ACOLHIMENTO


O ambiente hospitalar afasta os indivíduos de suas atividades cotidianas e habituais restringindo o contato com seus entes queridos, mas no Hospital Pitangueiras, diz dr Renato, "proporcionamos um ambiente acolhedor, valorizando o indivíduo nas suas diferenças e peculiaridades".


SEGURANÇA


No caso do atendimento de urgência e emergência, segue rígidos protocolos clínicos multiprofissionais. O grupo mantém em regime de plantão no hospital médicos clínicos, cirurgiões, cardiologistas, pediatras, ginecologistas, anestesiologistas e ortopedistas. E conta com apoio do laboratório, diagnóstico por imagem e um serviço de remoção com ambulâncias de suporte avançado (UTI - móvel) nas 24 horas. Tem assistência farmacêutica e todos os medicamentos são identificados através de código de barras, proporcionando maior segurança.


UTIs


As Unidades de Tratamento Intensivo Adulto, Pediátrica e Neonatal do Hospital Pitangueiras têm equipamentos de última geração com monitorização central. O trabalho é incansável para a diminuição do índice de infecções associadas à ventilação mecânica, redução de óbitos e diminuição da permanência dos pacientes nessas alas.


Conta também com seis salas cirúrgicas, duas salas de parto e uma de recuperação pós-anestésica. A equipe médica, altamente qualificada, realiza vídeo-cirurgias, cirurgias neurológicas, cardíacas, ortopédicas, vasculares e oncológicas, além de transplante renal. "Estamos há 50 anos no mercado sem nunca nos acomodarmos, esse mais um diferencial", completa.


Jundiaqui
Você vai
gostar de

Ratatouille, um clássico em essência

Pelo chef Manuel Alves Filho

Mundo dança em troca de 1 litro de leite domingo

Vai ser no Teatro Polytheama o espetáculo “Folclores do Mundo – Festival de Danças Étnicas”

Agasalhe-se bem, porque vai dar a louca na temperatura…

Pessoal do clima fala em ‘gangorra do tempo’, com calor, frio, sol, chuva…

Jundiaí emite 833.800 toneladas de CO² por ano na atmosfera

Por José Arnaldo de Oliveira
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.