Jundiaqui
Jundiaqui

Rolando Giarolla escreveu histórias com ajuda da lista telefônica

Jundiaqui
30 de julho de 2019
Ex-vereador homenageou mais de oitocentas famílias italianas de Jundiaí

Era na lista telefônica, praticamente descartável em tempos de internet, que Rolando Giarolla buscava sobrenomes italianos de Jundiaí. A partir dali fazia o contato para contar a história da chegada desses imigrantes à cidade e os desdobramentos familiares ao longo do tempo. Foram exatas 810 as famílias homenageadas por conta de suas pesquisas. Em junho, Giarolla deu seu trabalho por encerrado, como que se despedindo. Na madrugada desta terça-feira (30), ele morreu aos 79 anos, vítima de um infarto que o hospitalizou desde o dia 26.

Essa história sobre italianos veio nos últimos cerca de onze anos. Giarolla começou pesquisando para o Circulo Italiano di Jundiaí, apresentando o resultado no programa "Italia Canta", da Rádio Difusora Jundiaiense.

Sua ligação com o rádio vinha de longa data, porque trabalhou também na Rádio Santos Dumont, entre 1963 e 1981, isso paralelamente ao trabalho como metalúrgico - foi funcionário da Sifco do Brasil de junho de 1958 a setembro de 1984, quando se aposentou.

Metalúrgico com voz forte no rádio foi a mistura certa para levar Giarolla à política. Foi eleito a primeira vez pelo MDB para a 7ª Legislatura (1973 a 1977), com 1.192 votos. Voltou à Câmara depois pelo PTB para a 9ª (1983 a 1988) e 10ª (1989 a 1992) legislaturas, com 902 e 1.060 votos, respectivamente. Em 2018, recebeu o título de "Vereador Honorário".

Em 1980, um projeto de Giarolla modificou o nome de Avenida dos Imigrantes para Avenida dos Imigrantes Italianos, a ligação entre a Ponte São João e a Colônia.

No aspecto histórico, foi com lei de sua autoria que Jundiaí preservou chaminés de antigas fábricas como a Argos Industrial S.A. e Tecelagem Japy, ambas na Vila Arens. Mais importante foi a criação da Reserva Biológica da Serra do Japi, em 1990. Já em 1991, tornou lei a obrigatoriedade de espaço para não fumantes em bares, lanchonetes e restaruantes de Jundiaí - a lei estadual proibindo fumar só viria a partir de 2009 - veja um resumo de seu trabalho na Câmara.

Rolando nasceu em Jundiaí, em 20 de abril de 1940, filho de Pedro Giarolla e Rosa Bavoso Giarolla. Foi casado com Angelina da Silva Giarolla com quem teve os filhos Roseli, Carlos Alberto, Luís Carlos e Paulo Roberto. Presidiu a Corporação Musical São João Batista, para a qual conseguiu aprovar lei para subvenção mensal da Prefeitura de Jundiaí.


Fotos: reprodução Câmara de Jundiaí e Facebook

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Soninha Vargas festeja sua nova Moda Rio

Loja de Louveira é inaugurada com muita gente de Jundiaí na noite desta sexta

Eleitorado encolhe pela metade e Miguel fica fora de Brasília

Embora tenha somado mais de 86 mil votos, deputado dá tchau a sua cadeira na Câmara Federal

Um lugar ao sol

Por Vera Vaia

Com 25 candidatos, Jundiaí elege um só: Alexandre Pereira

E nem foi com os votos daqui que o candidato de 38 anos nascido em Caieiras se garantiu
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.