Jundiaqui
Jundiaqui

Torcida do Paulista faz minuto de silêncio virtual no adeus a Mamede

Jundiaqui
14 de abril de 2020
Comerciante e conselheiro do clube, Mohamad Fauze Taha morre aos 35 anos

Em meio a quarentena, sem futebol por causa da pandemia do novo coronavírus, a torcida do Galo é convocada a fazer um minuto de silêncio - cada um em sua casa por conta do necessário isolamento social - nesta terça-feira (14), pelo falecimento do conselheiro do clube Mohamad Fauze Taha, o Mamede.

O comerciante tinha 35 anos e foi vítima de um infarto. Seu corpo foi enterrado pela manhã na presença de familiares apenas. Ele deixa a esposa Francine e a filha Laura.

Apaixonado pelo Paulista Futebol Clube, Mamede vivia intensamente as coisas do time que ajudou a subir de divisão em 2019 e que via com tristeza ser o lanterna do estadual 2020. Mas nem isso abalava sua paixão, expressa nas fotos das redes sociais, vestindo a camisa tricolor em 9 de cada dez imagens. Seu primo Faouaz Taha, presidente da Câmara Municipal de Jundiaí, publicou como despedida de Mamede uma foto juntos em um jogo do Galo.

Filho de Silvia e Fauze Taha, trabalhava no comércio familiar, a Casa de Móveis São Jorge, tradicional loja que trocou o Centro da cidade pela avenida Frederico Ozanan. Foi embora cedo demais, para tristeza dos irmãos Omar, Samara e Mariam.

Mamede frequentava o Centro Islâmico de Jundiaí, sendo neto de Mohamad Omar Taha. Seu avô veio ao Brasil em busca de uma melhor oportunidade de vida no século passado e aqui constituiu família. Se muitos dos imigrantes eram católicos, Mohamad era da parcela menor de muçulmanos e ajudou a eternizar na paisagem da cidade que o acolheu a Mesquita de Vila Arens - que desde 20 de março interrompeu as orações das sexta-feiras para evitar aglomerações em tempos da Covid-19.

Em 2008, Mamede foi conhecer a terra dos ancestrais, viajando por diferentes cidades do Líbano, como Baalbek (foto abaixo). Também esteve na Itália.

No Facebook, a prima Yasmim Taha, jornalista, escreveu: "A vida é um sopro, que muitas vezes vem como um furacão e leva de maneira avassaladora aqueles que amamos. Hoje acordei com a notícia da partida do meu primo querido Mohamad Taha, o nosso Mamede. Quanta dor! Deixará um vazio eterno nos corações da nossa família e daqueles o que amam.

Sou grata pelas lembranças boas que tenho com ele na infância. Quando a gente brincava de fazer pedágio na rua do sítio em Jarinu; ou íamos  cantando na caçamba da caminhonete do Tio Fauze ou em todas as outras brincadeiras que ele mesmo inventava, sempre com muita emoção.

Queria ter dito tudo isso a ele e o quanto a recordação desses momentos me traz leveza. Resta-me fazer essa homenagem para que todos saibam o cara maravilhoso que foi.

Que você esteja em paz Mohamad. Os encontros dos primos nunca mais serão os mesmos. Te amamos!"



Fotos: reprodução Facebook e a do alto da página de Gustavo Amorim/colaboração
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Finalista do Miss São Paulo, Mariana vai badalar na festa do JundiAqui

Jundiaí tem uma menina entre as cinco que disputam o título de a mais bela do Estado

Estado de São Paulo exigirá máscara para todos a partir de quinta-feira

Determinação foi anunciada pelo governador João Doria e sem prazo para encerramento

Cobrança de estacionamento nas ruas volta, exceto entorno de hospitais

São 17 áreas chamadas de “verde” que seguem sem necessidade do uso de parquímetro

Pandemia, depressão etc

Por Luiz Haroldo Gomes de Soutello
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.