Jundiaqui
Jundiaqui

“Apesar de você, amanhã há de ser outro dia…”

Jundiaqui
27 de dezembro de 2019
Vera Vaia mostra o que colocou em primeiro lugar nos trends a hashtag “Bolsonaro Traidor”

Em 1970, o compositor Chico Buarque, revoltado com a falta de liberdade imposta pela ditadura militar, gravou essa música endereçada ao general Garrastazu Médici. E quando a ficha dele caiu, proibiu a execução da canção em todas as rádios do país. Ela só voltou a ser tocada em 1978, quando o general Ernesto Geisel, um pouco mais liberal que os colegas ditadores que o antecederam, assumiu a Presidência da República.

Hoje, “Apesar de Você” se encaixa perfeitamente ao nosso atual governo, em um outro contexto.

Tem se ouvido por aí:

Apesar de Você, Jair Bolsonaro, o Brasil está tentando sair da lama. As perspectivas econômicas são alentadoras, mesmo sem seu dedo, já que o senhor disse várias vezes que não entende nada de Economia. (Do que será que ele entende?)

Apesar de Você, Jair Bolsonaro, a Reforma da Previdência foi aprovada pelo Congresso. (Bolsonaro, enquanto deputado, sempre votou, de mãos dadas com o PT, contra as propostas de reformas dos governos anteriores. E, às vésperas de ela ser aprovada, Paulo Guedes disse aos parlamentares que sabia que ninguém queria essa reforma, “nem o presidente quer”, mas que ela precisava passar.)

Apesar de Você, Jair Bolsonaro, as investigações sobre os trambiques praticados por seus familiares continuam em marcha. Todos nós queremos saber como se gasta R$ 21 milhões em chocolates ou como o filho Flávio comprou tanto apartamento com o salário de deputado.

Apesar de Você tentar dar mole para a criminalidade em vários pontos do Pacote Anti Crimes, ainda acreditamos na Justiça.

Essa do “VAR” jurídico que o senhor convenientemente sancionou foi de lascar. O juiz de garantia que o senhor não vetou como Moro e o povo esperavam, além de onerar cofres públicos, vai dar a chance para criminosos serem julgados por um outro magistrado que não tenha encabeçado as investigações. Por exemplo, se isso estivesse valendo antes, o Moro não podia ter prendido o Lula. E num exemplo mais atual e mais explícito, o juiz Flávio Itabaiana, que preside o inquérito aberto pelo MP do Rio contra Flávio Bolsonaro, não vai poder mandar seu homônimo pra cadeia por peculato e lavagem de dinheiro. Com a nova norma, vai ser um outro juiz que dará a sentença. De preferência um que seja beeeeem bonzinho.

Com essas e mais outras o presidente acabou esta semana em primeiro lugar nos trends com a hashtag “Bolsonaro Traidor”. Essa rasteira dada no Sérgio Moro está pesando na sua avaliação como político honesto, e as redes sociais não estão deixando barato.

Talvez seja porque seu conceito de “bandido bom é bandido morto” valha só para os outros.

Mas, apesar dos pesares, não vamos desanimar. Que tenhamos todos um Feliz e Próspero Ano Novo!

Apesar de você, amanhã há se ser outro dia. Inda pago pra ver o jardim florescer, qual você não queria...

Vera Vaia é jornalista
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Sesc tem show do guitarrista Eduardo Belloni

Seu primeiro trabalho como compositor será mostrado nesta noite de quinta

Em noite de festa quíntupla no Casa Cica

Vânia e Silvia Mazzoni, Eloise Lembke, Paula Menuchi e Marisa Sampaio comemoram aniversário juntas

JundiAqui em Revista trará um século de Jundiaí em 14 aniversários

Totalmente colorida, terá circulação gratuita em toda a cidade

Vila Brunholi oferece café da manhã no Caxambu

Uma nova opção para suas manhãs de sábados e domingos, recheada de gostosuras
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.