Jundiaqui
Jundiaqui

“Contágio”: a ficção agora realidade

Jundiaqui
17 de março de 2020
Por Wagner Ligabó (crônica)

Quando, comendo pipoca esparramado no sofá de casa, assistia bons filmes que exibiam cenas de ficção de arrepiar os cabelos e que um dia poderiam vir a acontecer, eu dizia: ainda bem que é uma produção de cinema e tem hora para acabar. Ficava tranquilo, pois apesar do suspense, sabia que minha angústia duraria, no máximo , duas horas.

E agora?

Aqui coloco a sinopse do filme “Contágio”, produção de ficção norte-americana de 2011 com grandes artistas e enredo angustiante. Você verá que o nosso momento atual é exatamente igual! Ou seja: o futuro virou presente! A ficção, realidade. O prazer de comer pipoca se transformou em medo.



Medo real!

Estou pessimista. Nunca pensei que presenciaria algo assim e concluo que nosso mundo não nos merece mais por culpa, torpe e desprezível, exclusivamente de seu único ser racional- o homem- , que na sua bestialidade se transformou em monstro de si mesmo, ocasionando a seus irmãos - aqueles de boa fé - todos os dissabores deste mesmo mundo.

A ganância e o poder cegam os líderes e eles se transformam em bestiais. Cegos ao que não lhes convém ou possa atrapalhar seus planos.

O que justifica mortes sem fim em guerras coadunadas por motivos questionáveis como os religiosos, os expansionistas ou por nenhum motivo especial? E aquelas motivadas pelo pontos de tráfico de drogas, por guerrilhas urbanas e por tantos outros motivos sem pé nem cabeça? Briga de bar? Morte no trânsito? Bala perdida? Camada de ozônio furada? Desgraças climáticas com miséria e fome? Ruptura de barragens na pacata Minas? Tanta disseminação de doença das mais sortidas planeta afora... Ricos mais ricos e pobres mais pobres! Pra que isso??? Por que isso???
É de propósito? É sacanagem? E a paz entra em cena a que hora???

Este vírus é coisa deles. Insisto: culpa deste ser irracional cientificamente conhecido como “homo sapiens”, hoje bestas do apocalipse. O poder fascina, corrompe e destrói e eles não se dão conta.

O futuro deu marcha à ré e está em nosso quintal. A natureza chora e nosso pranto acompanha a romaria.

Oxalá este nosso momento tenha um final melhor que o do filme, pois ainda persiste a fé dos bons a sustentar a esperança.

Cuidem-se! Não saiam às ruas! Sigam as regras que estão por toda a parte.
Usem o gel-álcool e lavem as mãos com insistência. Não menosprezem a situação dizendo “a mim o trem não pega”! Nós somos importantes para nossas famílias e somos solidários! Todo cuidado é pouco!

Evitem o CONTÁGIO! É melhor assistir ao filme "Contágio" e cair na real!
A coisa é séria e o pior ainda está por vir. Que a luz divina nos proteja!

The End...

 

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Papai Noel espalha alegria em festa do Rotary de Jundiaí Leste

Claudio Garcia Gomes comanda festiva natalina em noite feliz 

Carne com Queijo leva seu maracatu à Vila Progresso

Bloco desfilou pela rua Capitão Curado na manhã deste sábado de Carnaval

Mark é eleito na ACE e Elton diz que entrega associação ‘saudável’

Com chapa única, eleição foi tranquila; troca de comando será em janeiro

Roberto e Elaine ganham as Harley-Davidson do Maxi

Eles foram os sorteados da campanha de Dia dos Pais do shopping
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.