Jundiaqui
Jundiaqui

“Infinita É Tua Beleza”

Jundiaqui
6 de fevereiro de 2019
Lucinha Andrade Gomes escreve sobre o livro em comemoração ao Jubileu de prata do Refogado do Sandi

Lucinha Andrade Gomes

Domingo (3), pós-Baile do Havaí, ainda sob o efeito da carismática Ivete Sangalo, fui com as amigas Andréa Castro, Nailor Trevisan e Soninha Vargas prestigiar o lançamento do livro de Edu Cerioni, "Infinita É Tua Beleza", publicado pelo famoso Márcio Martelli.

Entre abraços e fotos revi, o querido Fábio Pescarini (foto abaixo), que atua no jornalista paulistano e foi do extinto "Bom Dia", o que fez bater uma imensa saudade de escrever.

Tenho vergonha, mas confesso nunca desfilei no bloco Refogado do Sandi! As minhas incursões carnavalescas foram na Arco-Íris, no famosíssimo Chupa que é de Uva e em sampa, na X9, com samba enredo “Vi, Vim e Venci", em homenagem ao Inos Corradin! O leitor mais desavisado pode até perguntar-se: e o Refogado onde fica? Em uma brevíssima retrospectiva, a resposta é simples: às sextas-feiras eu estava sempre trabalhando e seria no mínimo curioso uma diretora de escola sambando em dia letivo. São águas passadas...

Seguindo orientação do prefácio de José Arnaldo de Oliveira, abracei o livro sem moderação e viajei com o bloco por Jundiaí e junto com o Edu também pelo cenário nacional de vinte e cinco anos atrás.

Fui levada ao contexto cultural, social e político mais amplo; o autor fez os links certeiros com o futebol, a moeda nacional, o presidente acompanhado da atriz semidesnuda, mas precisamente sem a peça íntima, os movimentos musicais, os nossos doces bárbaros (Oswaldo e Picôco), o nascimento do PT na terra de Petrô e assim por diante. Fui tomada pelo espírito literário e apaixonei-me pelo Refogado do Sandi. Pela irreverência do Erazê, a firmeza da "deretora" Gisela , o carisma do rei vitalício Osíris D’Angeri. Conheci todas as rainhas, como as festejadas Sônia Fávaro, Márcia Seixas Mota e Celinha Fávero, entre outras dessa linda história.

A imagem metafórica que melhor traduz o meu sentimento foi ver o centro de Jundiaí, a partir do Gabinete de Leitura invadido por bolinhas de gude coloridas, desformes e variadíssimas rolando em uma alegria esfuziante ao comemorar um dia de liberdade, democracia e não vou escrever, pois dizem sou uma lady, o dia em que você não está nem aí ! Captaram o verbo? Kkkk...

Ao observar as fotos, fiquei deveras surpresa ao saber que a tímida Maria Helena Soutello levou absinto aos foliões e foi rainha do bloco! Sempre soube que o amigo Luiz Haroldo era simpatizante do Refogado do Sandi, mas a Maria Helena surpreendeu!

Fantasias inusitadas, irreverências mil, destaco meu saudoso amigo Picôco Bárbaro desfilando no seu habitat natural de celebração: viva a vida!

O que fica do livro é alegria desta festa cultural jundiaiense, que se faz cada dia mais viva e autêntica. As bolinhas de gude multiplicaram-se e a folia prossegue, afinal como diz o samba de 2019:

"Tá tudo baseado
Na história do Refogado.
Se liga Maria, diz aí João:
O Refogado é minha nação!"

Parabéns, Edu Cerioni pela publicação! Infinito é o teu talento!!!

Lucinha Andrade Gomes é professora e advogada



Fotos: Henrique Ramalho
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Tem Telma Costa no Happy Hour do Maxi

Cantora chega cheia de bossa e a melhor MPB nesta noite de terça

Coopercica dá R$ 140 mil de presente de aniversário a cooperados

Quatorze associados ganharão vale-viagem no valor de R$ 10 mil cada um

E o fenômeno Rudy vai fazendo a festa

Sozinho no palco, ele coloca centenas pra dançar e cantar por mais de quatro horas 

Governador estende quarentena até 10 de maio: é para ficar fechado

Doria vê ampliação do isolamento social como necessária para evitar colapso ao sistema de saúde
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.