Jundiaqui
Jundiaqui

Multidão vai atrás do Kekerê na consolidação do nosso Carnaval de rua

Jundiaqui
5 de fevereiro de 2018
A folia foi tanta que surpreendeu até mesmo os comandantes do bloco, que falam em 35 mil pessoas



Edu Cerioni

A casa do Kekerê é a Vila Rio Branco, mas ficou melhor levar o Carnaval para a avenida União dos Ferroviários, neste domingo (4) de sol, paz e amor.

Primeiro bloco a ir para as ruas da cidade, simplesmente coloriu a nova passarela definida pala Prefeitura de Jundiaí, entre a rua Abolição e o Extra, por onde passou o Bloco do Loki em 2017, que é mais larga e com fiação mais alta do que o trajeto dos anos anteriores.

A PM não divulga números de participantes, já Vanderlei B.A. Vitorino, um dos comandantes do bloco ao lado do músico Tom Nando, fala em 35 mil pessoas presentes. E vê como uma grata surpresa esse salto de mais de cento por cento em comparação com o ano passado.

Com B.A. dançando no ponto mais alto do trio-elétrico e Tom Nando comandando a banda Kekerê, a energia foi total. Começou às 15 horas e terminou por volta de 20 horas, embora muita gente tenha esticado mais um pouco pelas redondezas - muitos em busca de algum outro agito para seguir em diante na folia.

Tom Nando toca também no Chupa que é de Uva, no Trio em Transe e este ano é um dos autores do samba do Refogado do Sandi (junto comigo), ou seja, o grande nome do nosso Carnaval. E fez a galera dançar e pular muito no histórico domingão - só fica atrás em público ao Chupa em 2017.

Se o Chupa se viu obrigado a ir para dentro do Clube Jundiaiense em nome de segurança e conforto no sábado (3), deixando ao Kekerê o privilégio de abrir a temporada de festa nas ruas, este veio para mostrar que está consolidado o Carnaval dos blocos. "Se uns dizem não, milhares estão dizendo sim ao Carnaval", ouvi do folião Marcos Lopes.

O povo mostrou que este é um movimento que veio para ficar, apesar de todos os obstáculos colocados em seu caminho pelo governo de Luiz Fernando Machado. Machado, por sinal, conversou com Val Junior, em intermediação do vereador Cristiano Lopes, para que o Chupa volte a sair às ruas ano que vem. Cristiano me disse durante a Feijoada do Tênis Clube que o prefeito entendeu ter sido um erro estratégico não ter o gigante em desfile. Val Junior, por sinal, foi festejar com os kekerês e não confirmou nada ainda.
Pela Ferroviários foram espalhados banners com alertas, como o de não fazer xixi na calçada. Nem foi preciso, porque haviam muitos banheiros químidos em dois pontos da avenida. Também a segurança estava reforçada, com PM e GM ao longo de todo o trajeto. Apesar disso, os abulantes circularam numa boa.



E a família disse sim ao chamado de B.A. e Tom Nando, embora grupos de jovens fossem a maioria em uma tarde de clima ameno. Sem aquele calorão e também sem chuva, a enxurrada ficou por conta da cerveja.



Os foliões se espalharam ao longo da avenida e o trio-elétrico foi do Extra até a Abolição, onde teve uma certa dificuldade para manobrar, mas retornou festivo e cheio de energia a exemplo da ida, brindado com o pôr-do sol lindo na vizinhança do Paço Municipal.Para B.A. a marca Kekerê se fortalece neste terceiro ano de vida. "É um mar de gente, uma alegria contagiante", resumiu Luly Alves, madrinha do  bloco.



Fotos: Edu Cerioni
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Reflexão

Por José Renato Forner

Celeti cria novo curso de alemão

É para quem tem mais de 40 anos e quer começar a aprender uma nova língua O Curso de Alemão é novidade no Celeti em 2018. O curso é voltado para [ ... ]

Feijoada reúne Amigos da Apae no balanço do Trio em Transe

Festa saborosa foi neste domingo no Espaço Speranza, no Caxambu

Plano ambiental não pode ser romântico, mas tampouco reducionista

Por José Arnaldo de Oliveira
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.