Jundiaqui
Jundiaqui

Curso foca comunicação para profissionais do mercado gastronômico

Jundiaqui
13 de maio de 2019
Quem ministra é o jornalista e chef de cozinha Manuel Alves Filho, colunista do JundiAqui

A região de Campinas ganha curso inédito de comunicação voltado para profissionais do mercado gastronômico, uma iniciativa que é destinada a empresários e pessoas que ocupam posições estratégicas no segmento.  O objetivo é oferecer alternativas para aperfeiçoar o diálogo entre esse grupo e diferentes públicos.

Afinal, a comunicação eficiente sempre foi uma competência indispensável no mundo corporativo. Comunicar-se de forma adequada com colaboradores, fornecedores, clientes e o público em geral contribui decisivamente para incrementar os negócios. O contrário também é verdadeiro. A comunicação falha, incompleta ou confusa frequentemente gera perda de credibilidade, de clientes e, como consequência, de dinheiro.

Para ajudar empresários e profissionais que ocupam posições estratégicas no mercado gastronômico a se comunicarem sem embaraço, a professora de Língua Portuguesa Bete Masini e o jornalista e chef de cozinha Manuel Alves Filho, o Manu, se uniram para oferecer um curso inédito na região de Campinas, denominado “Comunicação à la carte”.

“O curso está fortemente baseado na interação entre nós, mediadores, e os alunos. Queremos ajudar esse segmento a consolidar novos conhecimentos e a construir alternativas para o aperfeiçoamento da prática comunicacional diária”, afirma Bete Masini.

De acordo com a professora, o curso terá duração de 12 horas, divididas em seis aulas, as quais ocorrerão sempre às terças-feiras, entre 19h e 21h, na Old Monk Beer House, casa recém-inaugurada, localizada na Vila Itapura, em Campinas. As aulas ocorrerão nos dias 4, 11, 18 e 25 de junho e 2 e 9 julho.

O conteúdo do curso, acrescenta Manu, trabalhará aspectos presentes no cotidiano de restaurantes, bares, cafés, empórios e similares. “Em 30 anos atuando como jornalista e chef de cozinha, tenho testemunhado muitos problemas gerados pela comunicação ineficaz ou inapropriada. Alguns casos, de tão graves, resultaram em crises insuperáveis. Já vi casas encerrando as atividades porque o gestor não soube responder convenientemente a uma crítica feita por um cliente em uma rede social. Em um desses episódios, a resposta imprópria viralizou, o que fez com que o estabelecimento perdesse um número expressivo de clientes e baixasse as portas”, exemplifica.

Tanto Bete Masini quanto Manu assinalam que deixar de tratar a comunicação como ferramenta estratégica pode ser um erro fatal para os negócios ou para a carreira dos profissionais que atuam no mercado gastronômico. “Todos precisamos nos comunicar de modo claro e objetivo. Temos que nos fazer entender. Isso vale para o restaurante, que divulga o novo cardápio; para o sommelier, que explica a harmonização do vinho com o prato; para o garçom, que recepciona o cliente; e para o chef de cozinha, que ensina o preparo de uma receita. Uma palavra mal colocada ou uma frase que permita dupla interpretação pode colocar tudo a perder”, adverte a professora.

A esse respeito, Manu tem uma história engraçada, mas muito esclarecedora sobre a necessidade de fazer com que a comunicação seja precisa. “Uma amiga resolveu preparar uma torta de café e recorreu à receita de um conhecido confeiteiro. Ela seguiu corretamente o passo a passo e concluiu o doce, que ficou com um aspecto bem bonito. Entretanto, quando experimentei um pedaço, senti como se estivesse comendo areia. Eu a questionei sobre os ingredientes utilizados, e ela respondeu candidamente que tinha colocado todos os elementos recomendados, inclusive a xícara de pó de café. Nesse instante, eu cai na gargalhada e expliquei que ela não deveria ter colocado uma xícara de pó de café na receita, mas sim uma xícara de café coado. Foi quando ela justificou: ‘então por que a receita não informava que o café precisava ser coado?’. De fato, não podemos partir do princípio de que nossos interlocutores têm o mesmo grau de conhecimento que nós possuímos acerca de um determinado tema. Clareza nunca é demais”, pondera o jornalista e chef de cozinha.

O curso "Comunicação à la Carte" tem vagas limitadas. Os interessados devem fazer a inscrição antecipadamente. O investimento é de R$ 1,1 mil. Para quem quiser parcelar o valor em até 12 vezes, o pagamento deve ser feito pela plataforma Sympla. Nesse caso, o usuário pagará uma taxa de administração de 10% sobre o valor da inscrição. Para quem optar pelo pagamento à vista, basta fazer um depósito em nome de Manuel Alves de Souza Filho, no banco Bradesco, agência 46, conta corrente 331489-8. Em seguida, é só enviar o comprovante pelo WhatsApp (19) 99603-3628. Nesse caso, o inscrito terá 10% de desconto, o que reduzirá o valor para R$ 990.

Currículos

Elisabete Masini é especialista em comunicação organizacional. Ministra cursos e palestras em empresas, em instituições e em escritórios de advocacia. É estudiosa da área de Análise do Discurso: estratégias argumentativas orais e escritas em língua portuguesa a partir dos sujeitos envolvidos no processo comunicacional. Seu site: www.betemasini.com.br. É também consultora da Elos na Gestão: www.elosnagestao.com.br

Manuel Alves Filho é jornalista e chef de cozinha, com cerca de 30 anos de experiência nas duas carreiras. Como jornalista, escreveu para jornais, rádios, revistas e sites. Atualmente, é assessor de imprensa da Unicamp, onde está há 20 anos. Como chef de cozinha, tem se destacado como divulgador da boa gastronomia, especialmente a brasileira. É o idealizador de vários eventos gastronômicos, entre eles o “Chefs na Praça”, maior festival do gênero na região de Campinas. É palestrante e consultor gastronômico. Participou como jurado das mais importantes competições gastronômicas brasileiras, como “Comida di Buteco” e “Veja Comer & Beber”. É autor do livro “50 memórias, 50 sabores - A cozinha ancestral de quem ajudou a construir a Unicamp”.

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Turma do Geva faz reencontro emocionante após 50 anos

Eles começaram o curso em 1968 e se reencontraram para matar a saudade

Natura relembra Erazê em noite da melhor MPB

Bar, boa música e amigos era tudo que o criador do Refogado mais gostava e foi assim a festa em sua memória

Vinho premiado ficou 8 meses em carvalho francês e custa R$ 68 a garrafa

Poesia Gran Reserva Syrah 2018 coloca Vinícola Castanho entre as campeãs do Brasil

A máxima shakespeariana

Por Valquíria Malagoli
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.