Jundiaqui
Jundiaqui

O footing e o cinema

Jundiaqui
15 de outubro de 2017
Por Vivaldo José Breternitz

A partir talvez dos anos 1920 - e até talvez os anos 1960 - paquerar (será que essa palavra ainda existe?) era sinônimo de caminhar pelas ruas e, claro, flertar (será que isso ainda existe?) quando possível - isso era chamado "footing".

O "footing", que vem do inglês 'ir a pé', acontecia principalmente nas cidades menores - as garotas colocavam suas melhores roupas e saíam para caminhar com um objetivo claro: serem observadas pelos rapazes, igualmente bem arrumados, que tinham como objetivo, observar as meninas...

Aqui em Jundiaí, isso acontecia aos sábados e domingos, principalmente na área próxima aos cinemas do centro, nas ruas Barão de Jundiaí e Rosário e na praça Governador Pedro de Toledo - a ideia era que as meninas caminhassem e os rapazes ficassem parados; inúmeros namoros e casamentos começaram no "footing".

Nos anos 1950, nossa Prefeitura interditava o trecho da Rua Barão entre a praça e a rua da Padroeira, local onde o "footing" era mais intenso.



Em 1958, o vereador Nelson Chacra pedia que a Prefeitura levantasse essa interdição nos dias chuvosos, quando não havia "footing", de forma a que automóveis pudessem recolher as pessoas que estivessem saindo da primeira sessão do Cine Ipiranga, que começava às 7 da noite e terminavam por volta das 21.

Além do Ipiranga, os outros cinemas de nossa cidade eram o Ideal, Polytheama, Marabá, República e Vitória - bons tempos...

Vivaldo José Breternitz, do blog Jundiahy Antiga
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Na terra da coxinha de queijo, Ciro Gomes pede fim de rixa

Primeiro candidato a presidente da vir fazer campanha em Jundiaí, ele atacou Bolsonaro

“Comédia sem Título” vai ao bairro nesta sexta

Cia de Teatro de Jundiaí leva peça ao Centro de Convivência, Cultura, Trabalho e Geração de Renda

Atores vêm chegando para o Festeju

Festival de Teatro prossegue neste fim de semana com apresentações gratuitas

Maria Padilha traz o “grande personagem” sugerido por Ney Latorraca

Sesc Jundiaí recebe o monólogo “Diários do Abismo” neste sábado
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.