Jundiaqui
Jundiaqui

O guarda da esquina

Jundiaqui
24 de outubro de 2018
Pelo Dr. Didi

Em 1964 eu tinha apenas treze anos, mas era um adolescente atento.

Lia tudo que os jornais e revistas da época publicavam.

De repente o mundo pareceu que parou.

Até porque muitas rotativas pararam.

As ruas ficaram desertas.

Meus pais, vizinhos e parentes pararam de se falar.

O colégio ficou sombrio.

Estudar, jogar futebol de salão e de "botão" foram meus refúgios, pois sempre havia o temor do "guarda da esquina".

As coisas foram se acomodando.

O futebol voltou a ser assunto.

Mesmo assim, vi meu pai adoecer e dentro da fibra com que construiu a nossa familia, tornar-se gigante.

Sei que o tema já foi citado por outros "escribas".

Não é o presidente que vai amedrontar quem com ele não concordar,
é o "guarda da esquina"

Com todas as suas invejas, rancores e frustações.

Presidente "Messias"... uma vez eleito, seja nobre.

Governe para todos os brasileiros.

Una a nação.

A conclame para em volta de sí.

Seja um estadista.

"O ódio é como beber veneno esperando que o outro morra"
( Santo Agostinho)

Até!

Diógenes Augusto Archanjo da Silva, o Dr. Didi, é médico ortopedista


Jundiaqui
Você vai
gostar de

O coroinha do bispo

Por Nelson Manzatto

Clube da Lady é pura alegria em meio a pizzas solidárias

As ladies comemoram mais uma promoção de sucesso, que espalhou delícias pela cidade e vai gerar boas ações

Jundiahy, uma das primeiras cidades brasileiras

Por José Arnaldo de Oliveira

O paliativo Jair Ventura no Corinthians

Por Marcel Capretz
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.