Jundiaqui
Jundiaqui

ContinuAMOs na Nossa, mesmo longe da Ponte

Jundiaqui
13 de fevereiro de 2018
Bloco se viu obrigado a ir para o Centro, onde fez sua festa até o toque de recolher

Edu Cerioni

Essa história de Carnaval de rua em Jundiaí nasceu com a Banda da Ponte, que gerou o Estamos na Nossa, pai do Refogado do Sandi. Tudo bem que ao Continuamos na Nossa não foi permitido desfilar em seu bairro, a Ponte São João, como ocorria desde 2008, mas ainda assim foi uma grande festa essa no Centro nesta segunda-feira (12).

Milhares de foliões foram atrás do trio-elétrico pelas ruas Barão de Jundiaí e Rosário, entre 16 e 18h30 - isso mesmo, foi quando acabou o Carnaval de Jundiaí na véspera do feriado.

Os fios da rede elétrica baixos, obrigou os músicos a cantarem agachados em vários momentos, contudo sem que perdessem o rebolado. Wandão e Renato Viana deram o recado e seguraram uma onda.

Quem desafinou foi o representante da Prefeitura de Jundiaí que pegou o microfone e ordenou toque de recolher. Mandou que todos pegassem seus carros (como se a juventude tivesse um) e fossem para casa.

Mas vamos ao lado bom da coisa, a festa em mais de setecentas fotos...



Fotos: Edu Cerioni
Jundiaqui
Você vai
gostar de

passo a passo

Por José Renato Forner

Isolamento em Jundiaí é cada vez menor

Média da última semana foi de 41%, dez pontos percentuais a menos do que um mês atrás

“Conexões” mostra obras doadas para Jundiaí na Pinacoteca

São trabalhos de sete artistas em destaque até dia 28, entre eles Cecília Celandroni

Vinte mortos têm suas histórias contadas a partir do túmulo

Quem anda pelo cemitério agora poderá usar o celular para conferir quem foi aquele personagem enterrado ali
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.