Jundiaqui
Jundiaqui

“Nóis num vai preso”!

Jundiaqui
16 de setembro de 2017
Por Vera Vaia



Os irmãos Batista tinham tanta certeza de que poderiam ficar para sempre por cima da carne seca (no caso, fresca), que mesmo com a Lava Jato investigando suas vidas, conseguiram driblar a Bolsa de Valores e encher o lombo de dinheiro.  Mas o golpe foi descoberto e agora a dupla dos safadões Wesley&Joesley está cantando para os colegas de cadeia. 

No ato da prisão, Joesley chorou lágrimas de geddel e se agarrou a outro tipo de fé, a religiosa, já que a da impunidade tinha ido pro espaço. Fervoroso, levou  um terço enrolado na mão (onde estariam os outros dois?).


Outro que achou que ia fica no bem-bão depois de pular da maca e espernear porque não queria ser preso, teve, essa semana, sua prisão decretada. Anthony Garotinho apresentava seu programa de rádio em Campos dos Goytacazes, quando chegou a polícia e deu voz de prisão. Daí quem ficou sem voz foi ele.


O pequeno garoto não esperava que usar o programa assistencial Cheque Cidadão, para comprar votos pra sua Rosinha ser eleita prefeita da cidade, fosse acabar em prisão. Seu advogado alegou que as pessoas que receberam o cheque são todas necessitadas. Ah, bom! Então aí não tem crime, cerrrto?


Garotinho foi preso quando, indignado, dava a notícia da prisão de 34 bombeiros cariocas, acusados de cobrar propinas para a liberação de alvarás. "É uma vergonha", dizia. Aí tenho de concordar com ele. Como é que os heróis das criancinhas que sonham um dia serem bombeiros, se metem numa fria dessas? Que tristeza! Já não dá mais pra por a mão no fogo por esses homens.


Mas voltando ao Garotinho, ele vai cumprir prisão domiciliar até ser julgado em segunda instância. Aí, se for condenado deverá ir para a prisão. Mas como é Garotinho, deverá ir para a Fundação Casa. (Deletem isso, por favor). 


E na semana das prisões, tem mais um que acha que "nóis num vai preso": o sr. Honestão da Silva!


Diante do juiz Sérgio Moro em depoimento dado no último dia 13, Lula não só desmentiu todos os delatores, como atacou o seu "ex-homem forte do governo", e agora o "dissimulado" Antonio Palocci.


Porque ele é isso, ele é aquilo, é frio e calculista, capaz de inventar todas essas histórias pra sair da prisão, e outros mimimis! Só que Palocci ainda não assinou o acordo de delação. Falou, porque chegou a hora de falar e porque não adiantaria mentir sobre o que todos já sabem. 


Além de sobrar pro ex-ministro, Lula, claro, meteu de novo a falecida dona Marisa no imbróglio. Disse que era ela quem pagava todas as contas (e a gente achando que a ex-primeira dama era só uma dondoca), e que não sabia se ela pagava direitinho o aluguel do apartamento vizinho ao seu em São Bernardo ou não. 


E se achando o rei da cocada preta, chama a procuradora de "querida" e ainda desafia o juiz Sérgio Moro com sua ousadia e impertinência: "amanhã eu vou almoçar com meus netos e uma bisneta. Posso dizer a eles que fui julgado por um juiz imparcial"? Ao que Moro respondeu: "Bem, primeiro, não cabe ao senhor fazer esse tipo de pergunta a mim. Mas sim"! 


Na verdade, o que Lula deveria dizer aos netos é que não copiem o avô em nada. Mas como é que esse tipo de pessoa poderia educar netos, se nem os filhos ele conseguiu educar? Está aí o Lulinha que não me deixa mentir!


Tchau, queridos!


Vera Vaia é jornalista

Jundiaqui
Você vai
gostar de

“Meu Pai Foi Ferroviário” tem histórias de portugueses agora

Lançamento da nona edição será em Portugal no dia 9 de junho no Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento

Morre Tranquilo Sacramone, que foi sinônimo de eletrodomésticos

Aposentado e viúvo, ele tinha 87 anos e marcou a história do comércio de Jundiaí

Certificado de vacinação da febre amarela só para quem vai voar

A partir de segunda nas UBSs do Centro e Anhangabaú só mostrando passagem aérea para pegar documento

Maria dos Pacotes ganha exposição na Pinacoteca

Mendiga que perambulava pela cidade foi retratada por Regina Kalman
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.