Jundiaqui
Jundiaqui

502 ÓBITOS – Três em cada quatro mortes ocorrem no São Vicente

Jundiaqui
11 de janeiro de 2021
74,1% do total de falecimentos dentro da pandemia foram de pacientes da rede pública em Jundiaí

Edu Cerioni

Jundiaí contabiliza 502 mortos pela Covid-19 de residente na cidade nesta segunda-feira (11). Destes, levantamento com base no boletim diário divulgado pela Prefeitura Municipal mostra que 372 óbitos foram de internados no Hospital de Caridade São Vicente de Paulo. Já entre os três hospitais particulares da cidade, são 103 óbitos pela Covid-19.

O índice de mortalidade do São Vicente, 74,1%, é mais que o triplo daquele da rede privada da cidade, 20,51%, sendo superior ao registrado pelo Brasil. Pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) da rede pública brasileira, com coronavírus, tiveram o dobro de mortalidade quando comparados a unidades de saúde privadas.

Entre explicações possíveis para essa grande diferença, há quem cite que a mortalidade maior na rede pública é pelo fato de os pacientes estarem chegando mais tarde no sistema, com o quadro clínico mais avançado e deteriorado. Outra possível explicação é que o SUS recebe a grande maioria dos casos, isso significa um sistema trabalhando no limite ou em colapso.

Além das 372 mortes no São Vicente e das 103 entre os hospitais Pitangueiras/Amil-Sobam, Santa Elisa/Unimed e Paulo Sacramento/Intermédica (a Prefeitura Municipal não divulga os nomes no boletim, apontando apenas como "hospital privado", por isso não dá para saber quantas mortes ocorreram em cada um deles), outras 2 foram regisradas no Hospital Regional, 15 em residência e 10 em hospitais de outras cidades.

Uma dessas mortes em outra cidade foi de 15 de novembro de 2020 e com confirmação acontecendo apenas neste 11 de janeiro de 2021.
Nesta segunda-feira (11), o São Vicente informou que fez a ampliação de leitos exclusivos para a Covid-19: agora somam 98 (eram 85), sendo 62 de UTI e 36 de enfermaria.
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Aberto o pré-cadastro para vacinação de quem tem 85 anos ou mais

É o “Vacina já”, do Governo do Estado, que requer data de nascimento e outros dados

Pandemia e suspensão do tempo – Parte 3

Por Hildon Vital de Melo, o Camaleão Albino

Três jundiaienses já foram figurinhas de Copa do Mundo

Romeu Pelliciari jogou em 1938, mas só anos depois estampou álbum. Doni e Grafite foram cromos extras em 2010

Teatro do Sesc vai se abrir a vacinados a partir do dia 15

A capacidade reduzida é para até 30% do total de público, com uso de máscaras obrigatório
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.