Jundiaqui
Jundiaqui

Borjão, o Papai Noel da ‘barba da hora’, dá saudade

Jundiaqui
17 de dezembro de 2021
Uma bala perdida mudou a vida de Washington Borges e de milhares de crianças

Edu Cerioni

Em dezembro de 2009, crianças de uma escola municipal fizeram uma divertida sabatina com o Papai Noel. Washington Borges, o Borjão, respondeu sobre tudo e a todos, um dia marcante em minha vida como mediador do encontro e aposto que também na dele e das crianças envolvidas nessa brincadeira que fiz pelo extindo Jornal "Bom Dia". Era o Papai Noel da "barba da hora", como uma criança o definiu.

Borjão morreu em 2019 e deixou esposa, filhos e uma legião de fãs que o viram por anos seguidos como o Papai Noel de Russi, Maxi Shopping, ACE, BM Motos e no Jardim Botânico em parceria com a Coca-Cola, enfim, em muitos lugares. Foram 23 anos conservando barba e cabelos longos e brancos para iluminar o Natal de Jundiaí.

Essa escolha teve um forte motivo: levou um tiro, daqueles de bala perdida em Campo Limpo Paulista décadas atrás, e precisou mudar sua vida. Foi aí que leu um anúncio de jornal pedindo Papai Noel e se jogou de cabeça nessa fantasia.

Foto: Julio Montheiro
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Aberto o pré-cadastro para vacinação de quem tem 85 anos ou mais

É o “Vacina já”, do Governo do Estado, que requer data de nascimento e outros dados

Dia 30 cidade espera comemorar o bi no “Prêmio Top Turismo”

Jundiaí ganhou em 2019 e agora chegou na final pelo voto popular

Até a quarta tem vacina no Caxambu, Bairro do Poste e outros

É para quem tem mais de 60 anos; são 12 novos endereços por Jundiaí

Por dentro da festa do Maxi em seus 30 anos

Edu Cerioni traz clientes, lojistas e o show da Banda Monallizza no dia de aniversário do shopping
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.