Jundiaqui
Jundiaqui

Reis do gado

Jundiaqui
22 de agosto de 2021
Por Vera Vaia

Depois de armar o maior salseiro no meio artístico, político, e na própria vida pessoal, Sérgio Reis resolveu destocar o berrante que tinha tocado dias antes chamando o gado para uma manifestação geral no dia 7 de setembro.

Em áudio vazado, ele faz uma espécie de Tributo Aos Reis da Estrada. Convoca os caminhoneiros para promoverem paralisações gerais e sugere que a Comitiva Esperança invada o Senado. De quebra, como se achasse pouca a merda que jogou no ventilador, incentiva o pedido de impeachment dos 11 ministros do STF.

Quando essa bomba veio a público, outra bomba de efeito moral caiu sobre sua cabeça. A repercussão foi imediata e logo ele sentiu que o Couro de Boi começava a lhe queimar o lombo.

Contratos artísticos foram desfeitos, amigos se afastaram e até parentes puxaram suas orelhas. Sua neta chorou, provavelmente de vergonha, ao ver que o Menino da Porteira tinha se transformado num Boiadeiro Errante em pastos minados.

Dois dias depois, ele se diz estar com o Coração de Luto e pede perdão “pela brincadeirinha” que vazou. Com ares de madaleno arrependido, quase chega a dizer: Juro que não sabia. Chegou até a chamar o suposto vazador do áudio de amigo da onça, numa tentativa de tirar o seu da reta.

Tentou se justificar, mas não nega que é a favor do impeachment dos ministros de toga e insiste numa manifestação pacífica em favor do Bando de Vagabundo, ops, do governo federal atual (leia-se Jair Bolsonaro).

Mas depois que a comida feita na Panela Velha azedou, as coisas não ficaram muito boas pro Boiadeiro sem Boiada.

Sua vida pregressa foi vasculhada e, para a Tristeza do Jeca, descobriu-se que o Filho Pródigo nem é tão pródigo assim. As duas empresas das quais é sócio, a Vanelli Produções Artísticas e a Sérgio Reis Produções e Promoções Artísticas, fundadas em 1988, acumulam uma dívida com a União no valor de R$ 640 mil em multas e impostos não pagos. Seria esse seu Legado Sertanejo, Serjão?

Mas a pior parte ainda não é essa. Nesse fuça-fuça na vida do Tocador de Boi, veio à tona uma suspeita de que nós, brasileiros, teríamos pago pela reforma do seu Passarim Cantador, que à época, parece, tinha parado de cantar.

O deputado Paulo Pimenta questionou o cantor no Twitter sobre a veracidade da informação que ele tinha. Conta que, quando era deputado, Sergio Reis teria pedido ressarcimento à Câmara o valor dos R$ 55 mil gastos na substituição da sua prótese peniana.

Nada contra uma prótese peniana para quem tem disfunção erétil, afinal É Disso Que o Velho Gosta, mas patrocinar seu Quebra-cama já é um Coice de Alazão nas nossas ancas, moço!

É, Sérgio Reis, com essa Você Pisou Na Bola, e agora virou um Viajante Solitário.

É isso que dá quando se quer bancar o Baita Macho.

Vera Vaia é jornalista
Jundiaqui
Você vai
gostar de

A tradição da magia natalina de dona Ignezinha

José Arnaldo de Oliveira conta sobre o presépio dessa grande foliã do Carnaval 

A hora e a vez da população T

Por Kelly Galbieri

TVTEC abre inscrição para 60 vagas em três cursos na segunda

As ofertas são para formar assistentes de produção e editor de vídeos para redes sociais

Vai ao Centro nas noites antes do Natal? Se liga para não ser multado

Jundiaí tem novos horários para estacionamento em diversas ruas em dezembro
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.