Jundiaqui
Jundiaqui

Singer e Vigorelli ajudaram a costurar a história de Jundiaí

Jundiaqui
17 de setembro de 2018
Por Vivaldo José Breternitz

As máquinas de costura Singer começaram a ser fabricadas no início da década de 1850, sendo vendidas no Brasil a partir de 1858. Foi um produto que fez muito sucesso e, em 19 de março de 1871, a "Gazeta de Campinas" informava que Joseph E. Rule era seu agente de vendas em nossa cidade.

Onde ficaria sua loja? Note-se no anúncio abaixo que na província de São Paulo (hoje estado), as máquinas eram vendidas apenas na Capital, Santos, Jundiaí (ainda grafado com "hy"), Campinas e Rio Claro.



Em Campinas, a Singer inaugurou em 1955 a primeira fábrica de máquinas de costura da América Latina. Em Jundiaí, quem produziu máquinas de costura foi a Vigorelli...

Um gigante derrotado

A Vigorelli foi um dos gigantes que ajudaram a construir a grandeza de nossa cidade, mas que não resistiu.

Os Franco, família de judeus italianos chefiada pelo patriarca Giuseppe, imigraram para o Brasil em função do início da 2ª Guerra Mundial. Chegaram a São Paulo em 1940, dedicando-se ao comércio; terminada a guerra, passaram a dedicar-se à importação e exportação, criando a Importadora e Exportadora Francolite Ltda. (1947).

Inicialmente, importavam "kits" de máquinas de costura do Japão e da Itália para montagem no Brasil, o que era feito em um barracão na Rua Turiassú, Pompéia, em S. Paulo. Os "kits" italianos provinham da Vigorelli Italiana, sediada em Pavia, cidade situada na região da Lombardia, no norte da Itália.

Mais tarde, obtiveram dos italianos licença para fabricação das máquinas e adquiriram no bairro da Bela Vista, em nossa cidade, um grande terreno onde começaram, em 1952, a construção da fábrica, que foi inaugurada pelo Governador Lucas Nogueira Garcez em abril de 1953. Parte desse terreno é hoje ocupada pelo JundiaíShopping.

Para a montagem e operação da fábrica, contrataram o engenheiro Carlo Kummer, que trouxe consigo cerca de 15 técnicos especializados, todos originários de outra indústria italiana de máquinas de costura, a Necchi, também localizada em Pavia; dentre esses, os saudosos Carlo Farina, Luciano Galbarini, Matteo Vaira e Luciano Museli, que constituíram família em nossa cidade.

A Vigorelli operou até 1984, tendo além das máquinas de costura (500 unidades/dia de diversos tipos), fabricado móveis, máquinas operatrizes, cintos de segurança (os primeiros produzidos no Brasil), hidrômetros, barcos de pesca e armas leves, como submetralhadoras.

Infelizmente é mais uma empresa que se foi, destruída pela conjuntura econômica da época aliada à má administração. Mas, com certeza, deu sua contribuição à nossa cidade.

Abaixo, o certificado de garantia de uma máquina Vigorelli vendida em 1962 - eram 50 anos de garantia!!!


Jundiaqui
Você vai
gostar de

Vinte mortos têm suas histórias contadas a partir do túmulo

Quem anda pelo cemitério agora poderá usar o celular para conferir quem foi aquele personagem enterrado ali

Sabores tailandeses da 9 de Julho agora em promoção

Koh Samui traz um combinado de Pad Thai para duas pessoas, uma cerveja Singha e uma sobremesa por R$ 90,00

Javalis Selvagens x submundo da política

Por Vera Vaia

Um nome pra chamar de seu

Por Kelly Galbieri 
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.